Tem alguma dúvida?

Traumatismos Dentários

Os traumatismos dentários na primeira infância são muito comuns, principalmente bebês que estão aprendendo a andar ou mesmo os maiorzinhos, nas brincadeiras e travessuras do dia a dia.

As lesões traumáticas que afetam os elementos dentais e suas estruturas de suporte ocasionam, muitas vezes, problemas de ordem estética, funcional e emocional.

Os dentes normalmente mais afetados são os dentes da frente (incisivos centrais) por se tratarem de dentes mais anteriores, logo, os que recebem o primeiro impacto geralmente.

Os dentes traumatizados podem ficar moles, apresentar alterações de cor na hora ou mais tarde (podem escurecer), a gengiva e os lábios podem sangrar e pode haver até a perda do dente.  

Além disso, dependendo do tipo e intensidade do trauma, as lesões nos dentes permanentes que já estão se formando podem acontecer devido à grande proximidade entre eles e os dentes de leite.

Sendo assim, todo traumatismo, independente da sua intensidade ou gravidade, deve ser encarado como urgência e a visita a um Odontopediatra é indispensável para a realização do diagnóstico através de avaliação clínica e radiográfica e tratamento adequado.

Muitas vezes o prognóstico vai depender do tempo decorrido entre a ocorrência do trauma e a execução do tratamento.

É importante ressaltar que é possível prevenir alguns acidentes, principalmente entre crianças que praticam esportes individuais ou coletivos como patins, skate, bicicleta, futebol, judô, vôlei, etc., usando protetores bucais que podem ser feitos pelo Odontopediatra.

Seu filho tem medo de dentista?

Todo paciente infantil merece aprender a lidar com o ambiente odontológico da melhor maneira possível.

Toda experiência nova para uma criança demanda adaptação e paciência.

Para isso, utilizamos técnicas de manejo e preparo emocional individualizado para o atendimento odontológico, através dos quais estabelecemos uma boa comunicação com a criança, educando-a e orientando-a a cooperar durante o tratamento, construindo uma relação de confiança.

Sedação consciente por Óxido Nitroso e Oxigênio

Consiste na inalação de um gás analgésico, cujo objetivo é reduzir a ansiedade e a sensibilidade no momento do tratamento.

Provoca ainda uma leve perda de noção de tempo, o que contribui para uma tratamento mais tranquilo e agradável.

A técnica, que permite ser realizada no consultório de cirurgiões-dentistas habilitados por meio de treinamento específico, é feita com o uso de um aparelho que mistura oxigênio com o óxido nitroso na quantidade exata de cada componente, permitindo que o paciente seja monitorado durante todo o procedimento.

Durante a sedação, o paciente permanece com um grau de depressão mínima da consciência, mantendo a respiração espontânea, contínua, e ainda respondendo apropriadamente a estímulos físico.

Essa é a diferença básico da anestesia geral, que sempre deve ser realizada em ambiente hospitalar.

Outra vantagem desta analgesia relativa é a rápida reversibilidade da sedação, ao contrário de medicamentos ansiolíticos que têm ação prolongada.

Ao terminar o procedimento administra-se oxigênio puro por 5 minutos, tempo suficiente para que o óxido nitroso seja eliminado dos pulmões e da corrente sanguínea.

O paciente pode ter alta em seguida com todos os seus reflexos normais restaurados.

É muito importante frisar que esta técnica deve ser sempre complementada por anestesia local, pois o princípio da analgesia é diminuir a sensibilidade à dor e relaxar o paciente.

O cirurgião-dentista receberá as informações adequadas durante a anamnese e avaliará clinicamente se há indicações indicação ou não do uso do óxido nitroso.  

Erosão Dentária

A erosão dentária é a perda de tecido duro da superfície dental por agentes ácidos sem o envolvimento bacteriano.

Normalmente o fator principal é a frequente ingestão de alimentos e bebidas ácidas como refrigerantes e sucos de frutas cítricas.

 Existem também outros fatores que podem ocasionar a perda da estrutura dental, como o consumo de medicamentos (ácido acetilsalicílico, uso de pastilhas de vitamina C e drogas antiasmáticas).

Pacientes que têm problemas gástricos, como azia, refluxo e vômitos também são comumente vítimas as erosão dentária.

 A utilização de bochechos com flúor e dentifrícios fluoretados tem sido relatada como método preventivo, uma vez que o flúor aumenta a resistência do esmalte à dissolução provocada pelos ácidos.

Se a erosão tiver como etiologia a dieta, deve-se diminuir a frequência de consumo de comidas ácidas e restringir a sua ingestão durante as refeições.

Bebidas ácidas devem ser consumidas preferencialmente com a utilização de um canudo.

Tratamento restauradores são indicados quando existe considerável perda de estrutura mineralizada e quando esse processo tiver ocasionado danos funcionais e estéticos.

É importante que o tratamento das causas da erosão dentária seja coordenado com visão multiprofissional envolvendo os cirurgiões-dentistas e sempre que necessário, médicos, nutricionistas e psicólogos.